A existência

A existência
em si mesma
É a única questão
que tanto insisto em não interpretar
Um rosto que jamais vi
como um retrato do Profeta
que jamais foi pintado
Uma alma sem corpo
Desejos íntimos
Sonhos secretos
trancados na ante-sala da luz
No limiar da consciência que jamais tive
Onde estás
que não me ouves
Onde estás
que não me vês
Não sentes a minha angústia
de amarga solidão ? ´
Se é que algum dia exististe

Jorge Pereira

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: